O Grande Momento de INVESTIR em Imóveis

O Grande Momento de INVESTIR em Imóveis

21 de outubro de 2020 0 Por administrador blog - coqueiros

O ano começou repleto de boas expectativas para o mercado imobiliário. Era o que muitos consideravam a retomada definitiva. As projeções sinalizavam a consolidação de um movimento de expansão, para um segmento que sentiu o recente período de crise. 

Foram 5 anos consecutivos de queda do PIB. Entre 2014 e 2018, o encolhimento do Produto Interno Bruto gerado pela construção civil registrou um índice acumulado de 28%. Com 2019, vieram os dados positivos e o otimismo para 2020. Um cenário que virou incógnita, quando veio a pandemia do coronavírus. 

Mas, como muito se ouve falar, das crises nascem as grandes oportunidades. E tem sido exatamente assim. O mercado imobiliário dá interessantes sinais de rápida recuperação e se mostra uma excelente alternativa de investimento, nesse momento de incerteza econômica. Para muitos analistas, a construção civil pode, efetivamente, ser a protagonista da recuperação econômica, na fase pós-pandemia. 

Vendas migrando para o on-line 

É um panorama calçado em alguns dos principais indicadores gerados pelo mercado. O levantamento sobre os Indicadores Imobiliários Nacionais, realizado pelo Senai, em parceria com a Confederação Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), é um bom exemplo. Foi uma pesquisa divulgada em setembro e realizada em doze das maiores regiões metropolitanas do país, no Distrito Federal e em outras 25 cidades brasileiras. 

O que se percebeu foi que as vendas não desaceleraram. Dentre as empresas pesquisadas, inclusive, 32% conseguiram superar as metas de vendas. O que há, efetivamente, é uma diferença de formato. A pesquisa indicou que os portais de venda imobiliária on-line tiveram recorde de acessos no mês de julho. Uma tendência de digitalização que já vinha sendo percebida, antes da COVID-19. 

Esse cenário é o que também está por trás de uma manutenção de atividade, por parte de construtoras e incorporadoras. O mesmo estudo que acabamos de citar mapeia 69% dos entrevistados com intenção de manter o cronograma de lançamentos. 

Ou seja, a construção civil até pode estar cautelosa, mas mantém a linha produtiva que a coloca entre os principais motores econômicos. Em se tratando apenas do Brasil, o segmento responde pela média de 6% do PIB, gerando 7,3% dos empregos. 

Economia favorável e investidores atentos às alternativas sólidas Paralelamente a isso, as perspectivas de cenário econômico seguem animadoras para quem busca a solidez dos investimentos em imóveis. O chamado IPCA cheio, medido mensalmente entre os dias 01 e 30, vem permitindo projetar uma inflação anual de 1,8% ou 1,9%.

É um cenário no qual os especialistas apostam na manutenção da taxa SELIC em patamares baixos até 2021, podendo chegar a 2% ainda esse ano. Ou seja, seguimos falando de elementos que já vinham fazendo o setor imobiliário atrativo para os investidores, tendo em vista também a ampliação e maior facilidade de acesso às modalidades de crédito, dentro das políticas estabelecidas pelo Sistema Financeiro da Habitação. 

É lógico que esse conjunto de previsões ainda vai depender muito de como vai reagir e se comportar todo o conjunto da engrenagem econômica, diante de uma crise sanitária que vem mudando comportamentos. E se ainda falamos de incerteza, surge outro ponto favorável aos investimentos em imóveis. Nos momentos de instabilidade, as atenções se voltam para as possibilidades de investimento menos voláteis, como é o caso do mercado imobiliário. 

Isso tudo sem contar que, por conta do distanciamento social, as pessoas voltaram o seu olhar para os seus lares. E isso tende a ser uma mudança de comportamento, que transforme nosso padrão de relacionamento com o espaço da casa. 

Ou seja, se você está diversificando investimentos, ou estudando possibilidades para começar a investir, a hora é excelente para pensar nos imóveis.

Uma opção e tanto para quem busca segurança e rentabilidade, estando protegido da volatilidade.